sexta-feira

Escapadinha dos Mourões 2016
“O Rossio e as suas leiteiras”
« Inscrições »



Em Rossio ao Sul do Tejo, já não existem “Leiteiras” mas, ainda não há mais de quatro décadas, era uma atividade profissional, que garantia o sustento a várias famílias, de Rossio ao Sul do Tejo.
Até ao aparecimento do leite pasteurizado, atualmente, disponível em qualquer supermercado, várias eram as mulheres que se dedicavam à distribuição do leite, de porta em porta, na nossa freguesia.
Logo de manhã bem cedinho, as incansáveis leiteiras carregavam as suas pequenas bilhas e lá iam distribuindo o leite de porta em porta, pelas suas freguesas.
Por vezes, os maridos carregavam outras bilhas e distribuíam-nas por pontos estratégicos de Rossio ao Sul do Tejo, para que, quando as primeiras bilhas estivessem vazias, as pudessem trocar, sem perderem tempo, nem clientes, pois não tinham que voltar à vacaria, para as tornar a encher.
As leiteiras trabalhavam para pequenos criadores de gado. Um desses criadores de gado era o conhecido “Ti Abel das Vacas”, oriundo de famílias humildes, que começou por trabalhar na Quinta das Amendoeiras, quando ainda tinha 10 anos. Trabalhou muitos anos para uma senhora de origem francesa, Clemência Dupin, filha do engenheiro responsável pela construção da ponte que liga o Rossio à margem norte e que era a proprietária da Quinta das Amendoeiras, que, atualmente, pertence à Família Estrada. Esta Senhora gostava muito do Abel e cuidava dele como se fosse a sua mãe. Foi com ela que cresceu e aprendeu a negociar gado e leite, o que lhe permitiria, mais tarde, criar o seu próprio negócio neste ramo. Depois desta quinta ainda trabalhou noutra, a Vila Jaime, até que finalmente comprou uma pequena extensão de terreno no Lugar do Cabrito, onde criou o seu próprio negócio de criação de gado vacum e se dedicou ao comércio do leite, que as suas vacas produziam.
O “Ti Abel das Vacas” chegou a ter dezoito vacas leiteiras, cujo leite era considerado dos melhores da região e recomendado pelos médicos na alimentação de crianças.
Segundo reza a história, ninguém resistia ao aroma deste leite quando era fervido!
Mas o tempo passou e rapidamente tudo se alterou. Os pequenos produtores locais, foram obrigados a vender a sua produção artesanal às grandes produtoras de leite e, nos dias de hoje, compramos o leite já tratado, pasteurizado, empacotado ou engarrafado.
No entanto de acordo com alguns consumidores de outras eras, este leite não tem a qualidade, nem o sabor genuíno, nem a pureza natural do leite, que outrora aqui se consumia.
Nesse tempo, em Rossio ao Sul do Tejo, não havia quem não conhecesse a Ti Rosa Balalaica, a Ti Isilda Lérias, a Ti Florinda Mingote, nem a Ti Rosa Rasteira, que todas as manhãs carregando as bilhas de alumínio, à cabeça, lá iam fazendo a distribuição do leitinho, ainda quentinho, de porta em porta.
Como em todas as profissões, são muitas as histórias que se contam sobre esta atividade profissional, que chegaram aos nossos dias “saltitando” de boca em boca. 
Também como em todas as histórias antigas, há partes verdadeiras e outras muitíssimo exageradas, mas que continuam a ser recordadas entre os familiares e amigos das antigas leiteiras do Rossio.
Serão essas histórias que recordaremos na XIII Escapadinha dos Mourões!
Tu não as vais querer perder.

Boa caça!
XIII Escapadinha dos Mourões
2016
REGULAMENTO


«  INSCRIÇÕES  »


01- O Acampamento de Escuteiros “Escapadinha dos Mourões”, direcionado para Lobitos e Exploradores, realizar-se-á entre os dias 13 e 15 de maio de 2016, de acordo com a temática “O Rossio e as suas leiteiras”, comemorará os aniversários do Agrupamento anfitrião e da elevação de Rossio ao Sul do Tejo a freguesia.
02- Este evento de índole escutista, na sua décima terceira edição, visa a comemoração do 33º Aniversário do Agrupamento de Escuteiros nº 697 e o 177.º Aniversário da criação da antiga Freguesia de Rossio ao Sul do Tejo, agora integrada na União de Freguesias de São Miguel do Rio Torto e de Rossio ao Sul do Tejo.
03- A responsabilidade da organização deste acampamento é do Agrupamento de Escuteiros n.º 697, do CNE, com a coadjuvação do Conselho Permanente de Pais e conta com o apoio da União de Freguesias de São Miguel do Rio Torto e de Rossio ao Sul do Tejo, da Câmara Municipal de Abrantes e de outras entidades locais.
04- O acampamento terá uma abrangência nacional e o limite de participação dependerá da capacidade de resposta da organização, que decidirá o momento oportuno, para encerrar as inscrições, o que tem acontecido na ordem dos quinhentos participantes.
05- Cada Agrupamento participante poderá inscrever o número de bandos e de patrulhas que entender, até ao encerramento das inscrições, de acordo com o ponto 04 deste regulamento.
06- As inscrições terão um valor final de 15 € por escuteiro, sendo a pré-inscrição de 5 €. Os outros 10€ deverão ser transferidos para a conta do Agrupamento organizador até dois dias antes do Acampamento Escapadinha dos Mourões, para que se evite a presença de dinheiro na secretaria de campo.
07- As inscrições através de formulário apropriado, disponível no blog: escapadinhadosmouroes.blogspot.com, deverão ser enviadas e formalizadas, em simultâneo por cheque ou transferência bancária para o NIB : 0010 0000 1994 3580 0014 7 identificado com “Escapadinha Agr. N.ºXXX” (Não esquecer de juntar o comprovativo de pagamento indicando o agrupamento a que se refere o pagamento).
Toda a correspondência deverá ser endereçada para: “Agrupamento 697 - CNE, Apartado 17, Rossio ao Sul do Tejo, 2206-909 Abrantes”, ou para geral.697@escutismo.pt.

08- Ainda que coincidentes, as atividades a efetuar por Lobitos e Exploradores serão planificadas de forma independente, de acordo com o nível etário e com as metodologias correspondentes.
9- Entre as atividades a efetuar salientam-se:
- No dia 13 de maio, sexta-feira - Montagem do Acampamento e a Cerimónia de Abertura do Acampamento.
- No dia 14 de maio, sábado – Raid “Varino Arrojado”; Jogo de Cidade “P’ra cá da pala!” e a ”Ação e Fogo” - Animação Escutista.
- No dia 15 de maio, domingo – Eucaristia e uma construção em madeira, que simbolizará o reencontro de escuteiros amigos, nos aniversários supra.
10- Descrição das atividades principais:
Sob o tema “Rossio ao Sul do Tejo e as suas leiteiras!” desenvolver-se-ão as seguintes atividades:
“Varino arrojado!” – Será um raid em redor de Rossio ao Sul do Tejo, com tarefas e jogos distribuídos por diferentes postos.
“P’ra cá da pala!” – Consistirá num jogo de cidade, que possibilitará o (re)conhecimento de alguns dos diferentes espaços físicos da Freguesia Urbana de Rossio ao Sul do Tejo e, em simultâneo, um pouco da sua história.
“Ação e fogo!” – Tal como num Fogo de Conselho, Lobitos e Exploradores participarão, ativamente, numa animação em redor de uma chama imaginária, em que cada Agrupamento poderá apresentar uma pequena canção, dramatização, dança ou jogo de acordo com o imaginário proposto e disponibilizado em:
                       http://escapadinhadosmouroes.blogspot.com
“Pirâmide da Amizade” – Utilizando técnicas de pioneirismo construir-se-á uma construção em madeira, que será colocada perto da rotunda, junto à torre habitacional, contendo uma faixa alusiva aos aniversários em comemoração. Aqui se obterá a já tradicional “foto de família”, com todos os participantes na “XIII Escapadinha dos Mourões”.
11- A organização fornecerá todas as refeições confecionadas para os dias 14 (sábado) e 15 (domingo) de acordo com uma ementa previamente estabelecida.
O jantar do dia 13 de maio é da responsabilidade de cada participante. No entanto, antes do recolher, a organização servirá um reforço alimentar.
(Cada escuteiro deverá trazer consigo os pratos, talheres e copo)
12 – Por cada Alcateia o respetivo agrupamento terá de inscrever, no mínimo, um Dirigente ou Caminheiro por Bando e mais um elemento (Chefe ou Caminheiro), para colaborar na dinamização das atividades nos postos.
13- A exemplo de edições anteriores, todos os dirigentes inscritos serão envolvidos na orientação e dinamização das atividades propostas, nomeadamente nos postos de controlo e na supervisão dos diferentes bandos e patrulhas participantes.
14- Por cada Expedição, os agrupamentos terão, como condição inscrever, no mínimo, um Dirigente ou Caminheiro, por cada duas Patrulhas.
15 - Haverá, lembranças para todas as Alcateias, Expedições e Agrupamentos participantes.
16 – Nos jogos a realizar serão atribuídas pontuações, para que se premeiem os bandos e patrulhas, que no conjunto de todas as atividades consigam reunir o maior número de pontos.
17 – Para qualquer esclarecimento de dúvidas e/ou reforço de informação, os contactos com a organização são:
Chefe de Campo:
Miguel Bruno(CA) - 936393350 - barroqueiro.miguel@gmail.com
Chefe de Campo Adjunto:
Américo Pereira - 962774715 - moura.americo@gmail.com
Chefe de Sub-campo 1ª Secção:
Ana Santos – 936393351-
Chefe de Sub-campo 2ª Secção:
Américo Pereira - 962774715 - moura.americo@gmail.com

Planificação Geral das Atividades

Sexta-feira, 13/05/2016

18h00 – Acolhimento e montagens (Quebra Gelo)
22h00 – Abertura Oficial de Campo
23h00 – Reforço Alimentar e Recolher
23h30 – Silêncio e Reunião de Dirigentes

Sábado, 14/05/2016

07h00 – Alvorada e Higiene Individual
07h30 – Pequeno-almoço
08h00 – Partida dos Exploradores para o “Varino Arrojado II” e para o Jogo de Cidade “P’ra Cá da Pála II”
09h00 – Partida dos Lobitos para o Jogo de Cidade “P’ra Cá da Pála I”
12h30 - Final do Jogo de Cidade "P'ra Cá da Pála I"
13h00 – Almoço
14h30  – Partida dos Lobitos para o "Varino Arrojado I"
15h00  – Início das "Corridas de Karting" para os Exploradores
16h30 – Final do “Varino Arrojado II” e do Jogo de Cidade "P'ra cá da Pála II"
17h00  – Final do "Varino Arrojado I"
18h00  – Início dos Banhos no Poli-desportivo
19h00  – Final das "Corridas de Karting"
20h30 – Jantar
22h00 – Festa Escutista “Ação e Fogo”
23h30 – Reforço Alimentar e Recolher
24h00 – Silêncio

Domingo, 15/05/2016

08h00 – Alvorada e Higiene Individual
08h30 – Pequeno-almoço
09h00 – Construção da “Pirâmide da Amizade” e Convívio
10h00 – Ensaio para a Eucaristia
10h30 – Eucaristia
12h00 – Foto de Família
13h00 – Almoço
14h00 – Conselho de Guias (Avaliação)
              (Desmontagem, arrumação e limpeza de campo)
15h00 – Cerimónia de Encerramento

Lembrete: Como sempre, A Escapadinha dos Mourões servirá para reunir os nossos amigos e, como se sabe, “Os amigos não procuram razões para não participarem, mas qualquer pretexto lhes serve, para se reencontrarem!”
Contamos convosco, para comemorarmos, o nosso 33.º aniversário, de Flor de Lis ao peito, o 177.º da Freguesia de Rossio ao Sul do Tejo e o 3º da União de Freguesias de São Miguel do Rio Torto e de Rossio ao Sul do Tejo!
Uma canhota firme e sentida

O Chefe de Agrupamento
Miguel Bruno


PS. Não esquecer a bandeira do Agrupamento e o porta-estandarte!

sábado

« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADO »
« ESGOTADÍSSIMO »

XII “Escapadinha dos Mourões”

22 a 24 de maio de 2015
Rossio ao Sul do Tejo
Abrantes


=======================================================
Agrupamentos Inscritos:


26 Agrupamentos = NR (Novo Record)
257 Lobitos = NR 
301 Exploradores = NR
OBRIGADO!
    65      Torres Novas
    101    Ponte de Sor
    142    Portalegre
    157    Proença-a-Nova
    170    Sertã
    172    Abrantes
    193    Mouriscas
    273    Tramagal
    326    Idanha-a-Nova
    404    Almeirim
    583    Barquinha
    624    Cebolais de Cima
    651    Azeitão
    697    Rossio Sul Tejo
    871    Esmoriz
    1053  Alferrarede
    1080  Oleiros
    1093  Chainça
    1111  Várzea
    1123  Benfica do Ribatejo
    1139  Golegã
    1186  Fazendas Almeirim
    1213  São João da Ribeira
    1301  Alpiarça
    1340  Meda
    1357  São João de Ver

    =======================================================
IMAGINÁRIO

“Rossio e os seus tendeiros”

A ser verdade, que Rossio ao Sul do Tejo deve a sua origem aos pescadores que, aproveitando a riqueza natural do Rio Tejo, por aqui se estabeleceram há muitos anos atrás, não será menos verdade, que os tendeiros, comerciantes que vendem em tendas, serão, atualmente, os seus habitantes mais antigos.
São várias as famílias de tendeiros, que por aqui se mantêm, há várias gerações. Apelidos como Lobo, Sampaio, Mendes e Mendonça, são muito comuns e respeitados, nos mercados, feiras e romarias, onde exercem a sua atividade comercial.
Por, inicialmente, se terem dedicado à venda de quinquilharia, continuam a ser conhecidos por “Quinquilheiros”.
Muitas são as histórias que se contam sobre estes tendeiros e suas aventuras, transmitidas de boca em boca, até aos nossos dias. Umas serão verdadeiras, mas outras há que já foram, exageradamente, acrescentadas. Algumas, por tão incríveis que são, embora verdadeiras, continuam a parecer falsas. Será o caso das muitas histórias que se contam, do “Ti’ Diogo dos Cães”.
Este conhecido tendeiro era quase sempre o primeiro a chegar aos locais dos mercados e era ele que montava as tendas de quase todos os outros feirantes.
Embora muito conhecido nos mercados e feiras, ele era ainda mais conhecido entre os caçadores, por ser um excelente batedor e foi como tal, que começou a vender os cães aos caçadores.
Porém o Ti’ Diogo não criava cães, apenas se limitava a recolhê-los, por onde quer que passasse. A família nem achava estranho, quando no final de uma qualquer feira, mercado ou romaria, encontrava meia dúzia de cães amarrados às suas carrinhas.
Era um negócio muito lucrativo. Ti’ Diogo convencia toda a gente que os seus cães eram bons a caçar e, desta forma, vendia-os muito caros.
Parecia um encantador de cães. No bolso do casaco trazia sempre um naco de pão, ou um biscoito, para partilhar com estes “seus amigos”.
Por vezes vendia um cão, mais do que uma vez ao mesmo comprador, pois quando lhe devolviam os cães, por estes não saberem caçar, ele pintava-os de outra cor e entregava-os de novo. Por vezes, os cães que vendia fugiam aos seus novos donos e voltavam para casa do Ti’ Diogo, que os voltava a vender.
A história mais conhecida passou-se com um chefe da polícia de Abrantes, que lhe comprou um cão. O animal, assim que teve oportunidade, fugiu-lhe e regressou a casa do Ti’ Diogo. Quando viu o Chefe da polícia a dirigir-se a sua casa, o Ti’ Diogo meteu-o dentro de uma mala de madeira e sentou-se em cima dela. Como o cão não ficava quieto, nem parava de latir, começou a bater com o calcanhar na mala e a cantar uma das suas canções, para disfarçar, até o chefe da polícia se retirar.
https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gifUma das suas técnicas de caça preferidas era a de utilização de furões para retirar os coelhos dos buracos onde se escondiam. Ele trazia sempre consigo um casal de furões e então metia o macho dentro dos buracos e segurava a fêmea na mão, para o obrigar a regressar sempre.
Muitas vezes os seus netos, por serem curiosos, metiam as mãos dentro das caixas dos furões e eram mordidos por estes.

Muitas são as histórias que ouvimos contar, sobre o nosso velho amigo Ti’ Diogo dos cães, mas ao longo deste fim-de-semana, muitas mais iremos identificar.

REGULAMENTO
01- O Acampamento de Escuteiros “Escapadinha dos Mourões” é direcionado para a participação de Lobitos e Exploradores e realizar-se-á entre os dias 22 e 24 de maio de 2015, de acordo com tema: “O Rossio e os seus tendeiros”, sendo o "Ti'Diogo dos Cães", o personagem principal .
Esta iniciativa visa comemorar os aniversários do Agrupamento anfitrião e recordar a elevação de Rossio ao Sul do Tejo a freguesia.
02- Este evento de índole escutista, que caminha para a sua décima segunda edição, visa a comemoração do 32º Aniversário do Agrupamento de Escuteiros nº 697 e o 176.º Aniversário da criação da antiga Freguesia de Rossio ao Sul do Tejo, agora integrada na União de Freguesias de São Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo.
03- A responsabilidade da organização deste acampamento é do Agrupamento de Escuteiros n.º 697, do CNE, com a coadjuvação do Conselho Permanente de Pais e com o apoio da União de Freguesias de São Miguel do Rio Torto e de Rossio ao Sul do Tejo, da Câmara Municipal de Abrantes e de outras entidades locais.
04- O acampamento terá uma abrangência nacional e o limite de participação será estabelecido, pela capacidade de resposta da organização, que decidirá o momento oportuno, para encerrar as inscrições e que se tem estabelecido em torno do número quinhentos.
05- Cada Agrupamento participante poderá inscrever o número de bandos e de patrulhas que entender, até ao encerramento das inscrições, de acordo com o ponto 04 deste regulamento.
06- As inscrições decorrerão até 20 de abril e o seu valor final será de 15 € por escuteiro, com uma pré-inscrição de 5 €. (Os outros 10€ deverão ser transferidos para a conta do Agrupamento organizador até dois dias antes do Acampamento Escapadinha dos Mourões, para se evitar a presença de dinheiro na secretaria do campo).
07- As inscrições (formulário AQUI ), deverão ser enviadas e formalizadas, em simultâneo por cheque ou transferência bancária para o NIB : 0010 0000 1994 3580 0014 7 identificado com “Escapadinha Agr. N.ºXXX” (Não esquecer de juntar o comprovativo de pagamento).


Toda a correspondência deverá ser endereçada para: “Agrupamento 697 - CNE, Apartado 17, Rossio ao Sul do Tejo, 2206-909 Abrantes”, ou para geral@agr697.cne-escutismo.pt.
08- Ainda que coincidentes, as atividades a efetuar por Lobitos e Exploradores serão planificadas de forma independente, de acordo com o nível etário e com as metodologias das respetivas secções.
09- Entre as atividades a efetuar salientam-se:
- No dia 22 de maio, sexta-feira - Montagem dos quatro sub-campos da Escapadinha dos Mourões (Lobo, Mendes, Mendonça e Sampaio) e Cerimónia de Abertura.
- No dia 23 de maio, sábado – Raid “Varino Arrojado”;  Jogo de Cidade “P’ra cá da pala!” e a ”Ação e Fogo” - Animação Escutista, tipo Fogo de Conselho.
- No dia 24 de maio, domingo – Eucaristia e uma construção em madeira, que simbolizará o reencontro de escuteiros amigos, nos aniversários supra.
10- Descrição das atividades principais:
Sob o tema “Rossio ao Sul do Tejo e os tendeiros!” desenvolver-se-ão as seguintes atividades:
“Varino arrojado!” – Será um raid em redor de Rossio ao Sul do Tejo, com tarefas e jogos distribuídos por diferentes postos.

“P’ra cá da pala!” – Consistirá num jogo de cidade, que possibilitará o (re)conhecimento de alguns dos diferentes espaços físicos da Freguesia Urbana de Rossio ao Sul do Tejo e, em simultâneo, um pouco da sua história.
“Ação e fogo!” – Tal como num Fogo de Conselho, Lobitos e Exploradores participarão, ativamente, numa animação em redor de uma chama, que será transportada entre as margens do Rio Tejo, onde cada Agrupamento poderá apresentar uma pequena canção, dramatização, dança ou jogo de acordo com o imaginário proposto e disponibilizado em http://escapadinhadosmouroes.blogspot.com
Construção da “Pirâmide da Amizade” – Utilizando técnicas de pioneirismo construir-se-á uma pirâmide em madeira, que será colocada perto da rotunda, junto à torre habitacional, contendo uma faixa alusiva aos aniversários em comemoração. Aqui se obterá a já tradicional “foto de família”, com todos os participantes na “XII Escapadinha dos Mourões”.
11- A organização fornecerá todas as refeições confecionadas para os dias 23 (sábado) e 24
(domingo) de acordo com uma ementa previamente estabelecida.
O jantar do dia 22 de maio é da responsabilidade de cada participante. No entanto, antes do recolher, a organização servirá um reforço alimentar.
(Cada escuteiro deverá trazer consigo os pratos, talheres, copo e pano de cozinha)
12 – Por cada Alcateia o respetivo agrupamento terá de inscrever, no mínimo, um Dirigente ou Caminheiro por Bando e mais um elemento (Chefe ou Caminheiro), para colaborar na dinamização das atividades nos postos.
13- A exemplo das edições anteriores, todos os dirigentes inscritos serão envolvidos na organização e dinamização das atividades, nomeadamente nos postos de controlo e na supervisão dos diferentes bandos e patrulhas participantes.
14- Por cada Expedição, os agrupamentos terão, como condição inscrever, no mínimo, um Dirigente ou Caminheiro, por cada duas Patrulhas.
15 - Haverá, lembranças para todas as Alcateias, Expedições e Agrupamentos participantes.
16 – Quer nos Lobitos, quer nos Exploradores, nos jogos a realizar serão atribuídas pontuações, para que se premeiem os bandos e patrulhas, que no conjunto de todas as atividades consigam reunir o maior número de pontos.


17 – Para qualquer esclarecimento de dúvidas e/ou reforço de informação, os contactos (Moche) com a organização são:
Chefe de Campo: Américo Pereira(CA) – 927 862 020 – moura.americo@gmail.com
Chefe de Campo Adjunto: Miguel Bruno(CA adj.) – 936393350 –
barroqueiro.miguel@gmail.com
Chefe de Sub-campo 1ª Secção: Crisalda Gonçalves- 926608843 –
crisaldagoncalves@gmail.com
Chefe de Sub-campo 2ª Secção: Américo Pereira - 927 862 020 - moura.americo@gmail.com

Planificação Geral das Atividades

Sexta-feira, 22/05/15
18h00 – Acolhimento e montagens (Quebra Gelo)
22h00 – Abertura Oficial de Campo
23h00 – Reforço Alimentar e Recolher
23h30 – Silêncio e Reunião de Dirigentes

Sábado, 23/05/15

07h00 – Alvorada e Higiene Individual
07h30 – Pequeno-almoço
08h00 – Partida dos Exploradores para o “Varino Arrojado II” 
              e para o Jogo de Cidade “P’ra Cá da Pála II”
09h00 – Partida dos Lobitos para o Jogo de Cidade “P’ra Cá da Pála I”
12h30 - Final do Jogo de Cidade "P'ra Cá da Pála I"
13h00 – Almoço
14h30 - Partida dos Lobitos para o "Varino Arrojado I"
15h00 - Início das "Corridas de Karting" para os Exploradores
16h30 – Final do “Varino Arrojado II” 
              e do Jogo de Cidade "P'ra cá da Pála II"
17h00 - Final do "Varino Arrojado I"
18h00 - Início dos Banhos no Poli-desportivo
19h00 - Final das "Corridas de Karting"
20h30 – Jantar
22h00 – Festa Escutista “Ação e Fogo”
23h30 – Reforço Alimentar e Recolher
24h00 – Silêncio

Domingo, 24/05/15

08h00 – Alvorada e Higiene Individual
08h30 – Pequeno-almoço
09h00 – Construção da “Pirâmide da Amizade” e Convívio
10h00 – Ensaio para a Eucaristia
10h30 - Eucaristia
12h00 - Foto de Família
13h00 – Almoço
14h00 – Conselho de Guias (Avaliação)
 - Desmontagem, arrumação e limpeza de campo -
15h00 – Cerimónia de Encerramento

Lembrete: Como sempre este acampamento servirá para reunir os nossos amigos e como se sabe “Os amigos não procuram razões para não participarem, mas qualquer pretexto lhes serve, para se reencontrarem!”
Por isso contamos convosco, para comemorarmos, o nosso 32.º aniversário, de Flor de Lis ao peito, o 176.º da Freguesia de Rossio ao Sul do Tejo e o 2º da União de Freguesias de São Miguel do Rio Torto e de Rossio ao Sul do Tejo!

Uma canhota firme e sentida
O Chefe de Agrupamento
Américo Pereira
(Lobo dos Mourões)

PS. Não esquecer a bandeira do Agrupamento e o porta-estandarte!

segunda-feira


Escapadinha dos Mourões
e
“O Segredo do Rio”



-Onde param os Escuteiros?- gritou, entusiasmado, Luis Alves, Presidente da União de Freguesias de São Miguel do Rio Torto e de Rossio ao Sul do Tejo, no dia 25 de maio de 2014, no encerramento da XI Escapadinha dos Mourões, que se realizou no Aquapólis Sul, perante os cerca de seiscentos escuteiros.
Estava feliz o Sr. Presidente, a exemplo de todos os que, de algum modo colaboraram na preparação, realização e dinamização deste evento escutista. Tinha sido uma atividade emocionante e tudo correra muito bem, tal como estava previsto. Até o tempo não deixou ficar mal visto, Helder Silvano, o meteorologista de serviço que, com o habitual rigor, que se lhe reconhece afirmou perante o Chefe Américo, responsável pelo campo:
-Estás à vontade, só choverá até sexta-feira de manhã!
E assim foi. O sol apresentou-se em conjunto com os escuteiros e com eles ficou durante todo o fim-de-semana, permitindo a realização das atividades programadas, quer para os Lobitos (crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos), quer para Exploradores (jovens dos 10 aos 14 anos)
Tudo aconteceu muito rapidamente, como por magia, pois durante a noite do dia 23 de maio, duma assentada apenas, o Hipódromo dos Mourões transformou-se num parque de campismo e as tendas dos jovens escuteiros cobriram, por completo, todo o relvado ali existente.
Foi mais um momento de diversão, relação e união, entre mais de seiscentos amigos vindos de quatro regiões diferentes do nosso país (Lisboa, Portalegre e Castelo Branco, Santarém e Setúbal) e de vinte e um Agrupamentos de Escuteiros (Abrantes, Alcanhões, Almeirim, Azeitão, Alpiarça, Benfica do Ribatejo, Estoril, Entroncamento, Fazendas de Almeirim, Golegã, Idanha a Nova, Marinhais, Mouriscas, Ponte de Sor, Portalegre, Proença a Nova, Rossio ao Sul do Tejo, São João da Ribeira, Sertã, Torres Novas e Tramagal).
Como já vem sendo habitual, a Escapadinha dos Mourões, que sempre homenageia pessoas e entidades relevantes da história desta localidade, este ano não fugiu a esse objetivo, quando abraçou o tema "A Pesca em Rossio ao Sul do Tejo" e adotou o imaginário adaptado de uma das obras literárias de Miguel Sousa Tavares, "O Segredo do Rio", introduzindo nomes de conhecidos pescadores locais, que deram os nomes aos subcampos: Cravo, Gaio, Mingote e Navalho e ao “herói” da história, o simpático pescador sem regras, o “Matateu”.
Entre o Raid e o Jogo de Cidade os escuteiros puderam, experimentar várias emoções, na condução de kartings, nos passeios a cavalo, acompanhados por simpáticos e dedicados soldados da Guarda Nacional Republicana de Tomar, experimentar navegar nos antigos “Avieiros do Tejo”, conduzidos por bravos “guerreiros” náuticos, que teimam em não deixar morrer a tradição e este tipo de embarcações e, ainda trepar uma enorme torre de escalada insuflável, que foi montada junto ao pórtico de entrada, entre dezenas de desafios e jogos.
No final de tudo, os sorrisos alastravam pelas faces queimadas pelo sol, daqueles que pensam voltar no próximo ano, mas as lágrimas também toldaram o olhar de quem já não poderá regressar em 2015, porque irão receber o lenço azul e só o verde é a “cor da vida com valor” e a cor amarela a brilhar nos pode iluminar e dar forças para continuar.
Na cozinha e no bar equipas de pais e familiares dos escuteiros Rossienses, não pararam de trabalhar para que tudo batesse certo no final. No campo e em cada setor Pioneiros e Caminheiros de Rossio ao Sul do Tejo deram o máximo de si, em cada missão e sempre alerta para servir.
Quando a cerimónia de encerramento chegou todos se juntaram ao abrigo do sol, na enorme e bonita tenda do Aquapólis Sul, para receber lembranças e prémios desta atividade, construídos pela empresa de transformação de cortiça “Sofalca” da Família Estrada e pelos amigos dos escuteiros do “Rossio”, o Sr. Fernando Alves, da Carpinataria Rabeca de São Miguel do Rio Torto, o Sr. João Abrantes Pereira e o Sr. Ricardo Silva.
Nesta atividade marcaram presença várias entidades e entre elas estiveram vereadores da Câmara Municipal de Abrantes e a sua simpática presidente, Dra. Maria do Céu Albuquerque que, no discurso final, não deixou de tecer fartos elogios aos escuteiros. Elogios merecidos, pois uma hora depois do encerramento apenas os postes da bandeiras denunciavam a passagem dos escuteiros pelo Hipódromo dos Mourões.
Os escuteiros, mais uma vez demonstraram o sentido da velha máxima de Baden Powell, o seu fundador: “Deixai o mundo melhor do que o encontraram”.
Para terminar, aqui deixo uma canhota firme e sentida para todos, com votos de novos encontros tão estimulantes quanto estes.
Sempre Alerta para servir!

Lobo dos Mourões

terça-feira

«««« LOTAÇÃO ESGOTADA »»»»


XI Escapadinha dos Mourões

Tema: "Pesca no Rossio ao Sul do Tejo"
Com várias atrações e diferentes desafios como cavalos, avieiros, kartings, torre de escalada, etc.



A pouco mais de um mês da XI Escapadinha dos Mourões e já temos a inscrição de 20 Agrupamentos formalizada e 608 elementos (Lobitos e Exploradores) inscritos:

++++++++++++++++++++++++
Rossio ao Sul do Tejo -- 45 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
Estoril --------------------- 79 elementos - Região de Lisboa
Fazendas de Almeirim - 40 elementos - Região de Santarém
Almeirim-------------------33 elementos - Região de Santarém
Torres Novas--------------35 elementos - Região de Santarém
Ponte de Sor---------------14 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
Idanha a Nova------------23 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
São João da Ribeira-----40 elementos - Região de Santarém
Mouriscas------------------9 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
Benfica do Ribatejo-----20 elementos - Região de Santarém
Azeitão---------------------48 elementos - Região de Setúbal
Alpiarça--------------------24 elementos - Região de Santarém
Tramagal------------------24 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
Proença a Nova-----------16 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
Marinhais-----------------54 elementos - Região de Santarém
Abrantes-------------------18 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
Golegã----------------------25 elementos - Região de Santarém

Portalegre---------------- 39 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco
Sertã------------------------12 elementos - Região de Portalegre e Castelo Branco

Entroncamento-----------17 elementos - Região de Santarém
 +++++608++++++++++++++++++ LOTAÇÃO ESGOTADA!

Canhota firme e sentida deste vosso amigo

Lobo dos Mourões
Ver mais

segunda-feira

O Segredo do Rio

Imaginário da 11ª Escapadinha dos Mourões

"O Segredo do Rio"
( História inventada com base na obra do escritor Miguel Sousa Tavares )

 

Era uma vez um espaço relvado, à beira de um rio chamado Rio Tejo. Todas as primaveras, por ali acampavam muitos escuteiros com lenços de três cores: amarelo, verde e uma cor comum, que era a cor branca.
Entre os muitos escuteiros havia um menino que regressava àquele lugar pela oitava vez. Ali estivera quatro vezes com um lenço amarelo ao pescoço e, contando com esta, também já eram quatro, as vezes em que trazia um lenço de cor verde.

Esta seria a última vez…
Só com estas duas cores no lenço se pode participar neste acampamento e, a partir de agora o menino passaria a usar um lenço de cor azul.

Estava triste mas, ainda assim, quando a noite chegou repetiu o que sempre repetia:

Estendeu a sua colchoneta à porta da tenda, enfiou-se dentro do saco-cama e aninhou-se junto à porta da tenda, sem que tivesse fechado o fecho. 

Quase todas as noites assim procedia, para ali ficar a observar, no silêncio da noite, o cintilar das estrelas, as sombras das nuvens viajantes e a escutar o rio, deslisando no seu leito, também ele meio ensonado.
- Olá amiguinho! Estás bem?
O rapaz sorriu e acenou para a sua amiga carpa, que espreitava por entre as ervas crescidas à beira do rio.
Aproximou-se devagarinho e ali ficou a conversar com a sua velha amiga. Só da primeira vez, que a ouviu falar, se tinha surpreendido. Agora já estava habituado e já nem se lembrava de quantas vezes tinham conversado, naquele mesmo lugar.
Até já tinham nadado juntos, naquele ano em que o verão parecia ter chegado mais cedo. Numa noite, o rapaz agarrou-se à sua cauda e mergulharam até ao fundo do rio…
Mas desta vez não dava para nadar. A água estava muito fria…
Estas conversas ao luar só terminavam quando os olhos do rapaz começavam catrapiscar. Então despediam-se e iam dormir…
Quando a manhã chegou o rapaz e os seus colegas realizaram uma grande caminhada repleta de desafios, aventuras e caçadas. Passaram por trilhos e caminhos, montes e vales e, também, por aldeias e casais.
O menino teve sede e entrou num pequeno café, onde ouviu uma estranha conversa:

-Vai ser desta vez! Tenho muita pena, mas tem que ser… vou ter que pescar a grande carpa no rio, pois já não tenho nada para comer…
-Não faças isso Matateu! A carpa é tão gira!
-Tem que ser. Já não tenho comida para os meus filhos e o patrão ainda não me pagou…

O rapaz quase desmaiou.
-O que se passa contigo? - perguntaram-lhe os outros, ao vê-lo muito pálido.
Rapidamente os “chefes” o fizeram chegar a campo, onde ficou aos cuidados das enfermeiras de serviço, que o observaram e atestaram uma ligeira e passageira má disposição.
Logo que conseguiu livrar-se delas abeirou-se do rio e atirou três pedras à água para acordar a sua amiga.
-O que queres a esta hora? – perguntou o peixe vindo à superfície.
-Tens de sair daqui! Ouvi um senhor, chamado Matateu dizer que te vinha pescar!
O peixe ficou aterrorizado e logo fugiu, mergulhando nas profundezas do rio, e ninguém mais o viu.
Ele bem sabia quem era o Matateu.  Era apenas e só o melhor pescador do rio. Ele já tinha perdido o conto aos muitos peixes, seus amigos, que tinham perdido a vida, suspensos nos seus terríveis anzóis ou sufocados nas suas redes.
Ainda assim, quando a noite chegou, o menino esperou pela sua amiga carpa, mas só, quando estava quase para desistir repleto de lágrimas de saudade, ouviu:
Olá!- era o seu amigo peixe, que trazia novidades - Já sei como resolver o problema do Matateu!

Então o peixe contou-lhe, que havia um tesouro no fundo do rio e que esse tesouro era a solução para o Matateu e sua família.

O rapaz e a carpa arrastaram para terra, uma rede carregadinha de latas de comida, que na fuga encontrara, por acaso, num velho varino afundado.
Assim, a carpa já não corria perigo, pois o Matateu tinha comida para si e para a sua família.

Depois disto, o rapaz até se esqueceu do seu problema, pois mesmo sem lenço de cor amarela ou de cor verde poderia continuar a visitar a sua amiga carpa, naquele magnífico rio, o rio Tejo, sempre que quisesse.
A sua felicidade era tão grande, que pediu ao escultor abrantino, Santos Lopes, que fizesse uma linda escultura, para colocar naquele mesmo local, para que para sempre lhe fizesse recordar esta história, que era só sua. O seu segredo e o segredo do rio.

Assim o fez e na obra de arte este poema de Alberto Caeiro escreveu:
O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio

que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio

que corre pela minha aldeia.”